Furnas terá três usinas fotovoltaicas para autoconsumo em 2020

Companhia entra para o mercado de geração distribuída com objetivo de zerar as contas de energia de todas instalações da empresa em até três anos

Em busca de soluções para otimizar suas operações, Furnas anunciou o fechamento de um contrato para a implantação de suas primeiras usinas solares fotovoltaicas, num projeto R$ 11,1 milhões que prevê três UFVs de potência nominal de 1 MW cada, totalizando 3 MW de capacidade a ser instalada em locais próximos à Hidrelétrica Anta, localizada no rio Paraíba do Sul, divisa entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. O projeto marca a entrada da companhia no segmento de geração solar distribuída e servirá como piloto para outras duas unidades já programadas com o mesmo objetivo.

Segundo a empresa, serão utilizados três terrenos distintos do tipo “bota-fora”, área para descarte de material de escavação proveniente de obras na época da construção do aproveitamento hidrelétrico de Simplício e disponíveis agora para utilização. Cada planta ocupará área de cerca de 1,5 hectares, com os módulos fotovoltaicos sendo implementados em estruturas metálicas fixas, sem rastreamento solar.

Com a geração das usinas, a concessionária estima reduzir em cerca de 40% os gastos anuais com energia elétrica do Escritório Central da empresa, no Rio de Janeiro. O cronograma  do projeto, classificado como de Autoconsumo Remoto de Geração Distribuída, prevê a execução completa do mesmo em nove meses, geração comercial no primeiro trimestre de 2020 e retorno do investimento em aproximadamente cinco anos. A energia será destinada a reduzir parte do consumo de eletricidade da concessionária em área de concessão da distribuidora Light, com objetivo final de zerar as contas de energia elétrica em todas instalações da empresa em até três anos.

Contratação Integrada

A contratação foi a primeira de Furnas na modalidade Contratação Integrada, prevista na lei 13.303/2016. Com isso, o consórcio vencedor será responsável pela execução desde a fase de projeto básico até o término da obra e início da operação comercial.

A licitação, do tipo menor preço, foi vencida pelo Consórcio Kyo-Green, formado pelas empresas Kyoservice e Solergy, no valor de R$ 11.160.000,00, o que corresponde a um deságio de cerca de 20% em relação ao valor orçado para a licitação.

Próximos projetos

 A concessionária também está conduzindo os estudos para a implantação de três novas usinas fotovoltaicas nas áreas das hidrelétricas de Luiz Carlos Barreto de Carvalho, Batalha e Corumbá, essas com objetivo de vender a energia em leilões do mercado regulado ou no Ambiente de Contratação Livre. Além dessas UFVs, a companhia já tem um segundo projeto solar de geração distribuída a ser instalado no interior do Rio de Janeiro, em uma área de atuação da Enel.