CADE aprova e Evoltz torna-se única acionista de transmissora no Pará

Empresa controlada pelo Fundo de Investimentos Seville comprou mais 50% da ATE VIII, tornando-se detentora de oito concessões de transmissão de energia elétrica no Brasil

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aprovou sem restrições a compra pela Evoltz de 50% do capital social da ATE VIII, empresa com atuação no segmento de transmissão de energia elétrica no Brasil. O valor do negócio não foi revelado. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 26 de julho.

A Evoltz Participações S.A. é uma holding controlada pelo Fundo de Investimento Seville, detido indiretamente por diversas companhias geridas pelo Texas Pacific Group (TPG Capital). Com a aprovação do negócio, a empresa passa a ser detentora de oito concessões de transmissão no país: ATE IV, ATE V, ATE VI, ATE VII, ATE V III, MTE e NBTE. O faturamento do grupo no Brasil, em 2018, superou R$ 75 milhões.

A ATE VIII é uma sociedade de propósito específico (SPE) criada para atuar como concessionária de transmissão de energia, através de uma linha de transmissão de 108 Km que atravessa três municípios no Pará. O controle da empresa era até então dividido meio a meio pela Embrade, controlada pela Abengoa, e pela Evoltz, que agora passa a ser a única acionista.

Como justificativa estratégica para o negócio, que ainda depende de um parecer da Aneel, as partes argumentaram que a operação representa “uma oportunidade para a Evoltz reforçar sua participação na ATE VIII, concretizando seus investimentos no setor”. Pela perspectiva do Grupo Embrade, “trata-se de uma oportunidade para reorganizar seus investimentos”.