Cepel investiga causa das explosões em transformadores de 500 kV

Dois modelos específicos tem apresentado falhas recorrentes nos últimos anos, causando preocupação para a confiabilidade de operação do SIN

O Cepel tem concentrado esforços de investigação para identificar a causa de falhas de Transformadores de Corrente da classe 500 kV (TC 500), particularmente de dois modelos específicos, que vêm apresentando taxa de falhas crescente nos últimos anos. Esse trabalho de pesquisa, independentemente da atribuição de responsabilidades, está alinhado com a missão da entidade em contribuir como fomentador da pesquisa e do desenvolvimento de conhecimento no setor elétrico nacional.

Segundo o Centro, há registros de sinistros envolvendo esses dois modelos desde 2012, mas o número de fenômenos aumentou de forma atípica a partir de 2015. A faixa de idade dos modelos de TC 500 em questão é inferior a 12 anos, o que caracteriza estas ocorrências como falhas prematuras. Tais falhas têm causado grande preocupação com a confiabilidade requerida para a operação do SIN – Sistema Interligado Nacional, além de prejuízos materiais significativos para as empresas de transmissão de energia elétrica.

Os trabalhos que vem sendo realizados por especialistas do Cepel envolvem ensaios de alta tensão, tanto nos laboratórios da Unidade de Adrianópolis do Centro, quanto em campo, em ensaios de materiais que compõem estes equipamentos e a desmontagem e a dissecação destes TC, atividade que tem se mostrado muito importante para o objetivo da investigação. A capacitação para realizar tal investigação é relacionada a infraestrutura laboratorial da Unidade de Adrianópolis e pela expertise dos pesquisadores, que garantem a padronização da desmontagem e dissecação. O centro também ressalta a cultura de lidar com o nível de sigilo e segurança das informações, imprescindíveis nesta etapa investigativa de modo a evitar especulações prematuras.

Os equipamentos TC 500 que foram preventivamente retirados de operação por indicativos de existência de possíveis falhas internas foram entregues a entidade para avaliação, providência que tem possibilitado comparar detalhes de projeto e de fabricação, incluindo dimensões e materiais utilizados. Com esse conhecimento, pode ser desprendido também estudos de campos elétricos no interior dos TC.

De acordo com o Cepel, o tratamento dessas ocorrências envolvendo concentração de falhas catastróficas em um determinado tipo de equipamento importante do SIN frequentemente requer interlocução entre agentes, fabricantes, operador e agência reguladora. Neste caso do crescente número de explosões dos TC 500, a experiência tem mostrado que o tratamento mais efetivo deve se dar por meio de ações conjuntas, céleres e tecnicamente fundamentadas.

As iniciativas vem sendo coordenadas por várias empresas transmissoras, com o suporte técnico pleno e isento do Centro, que possui mais chances de sucesso na identificação da causa, podendo evitar a repetição do modo de falha e contribuindo assim para a segurança operativa do SIN e, consequentemente, para a sociedade como um todo.