Projeto da Enel SP vai implantar a autoleitura por consumidores em baixa tensão

Autorização dada pela Aneel será aplicada em fase de testes a um número limitado de clientes da distribuidora

A Enel São Paulo foi autorizada pela Aneel a implantar um projeto piloto para a autoleitura pelo consumidor atendido em baixa tensão, quando houver impedimento ao acesso do leiturista ao medidor de energia. A possibilidade de leitura pelo próprio cliente será apresentada pela distribuidora a consumidores, a partir do terceiro mês consecutivo de dificuldade de acesso, por meio de mensagem, folder ou correio eletrônico.

Caso opte por essa opção, ele terá depois de aderir formalmente, e poderá enviar os dados para empresa por meio de ferramentas online, aplicativos para smartphones e unidade de resposta audível (URA).

No projeto da distribuidora paulista, a autoleitura será testada com um número limitado de clientes e por um período definido, em um modelo conhecido como sandbox, ou caixa de proteção regulatória. Os resultados vão subsidiar uma futura regulamentação da modalidade pela Aneel.

O projeto piloto terá uma segunda etapa a partir de março de 2020, quando serão usadas tecnologias como medidores eletrônicos, para testar o impacto dessas novas tecnologias em clientes do chamado Grupo B com diferentes perfis de consumo. Segundo a Aneel, serão avaliados os hábitos e o comportamento dos clientes de baixa tensão no uso da eletricidade.