Aplicação do Dessem vai reduzir geração fora da ordem de mérito, diz ONS

Modelo será aplicado na operação diária do SIN em 2020, na primeira fase de implantação do preço horário

O uso do modelo Dessem na programação diária de operação do sistema, com o cálculo do Custo Marginal de Operação e a definição do despacho de usinas térmicas a cada 30 minutos, vai possibilitar a redução da geração fora da ordem de mérito, afirmou o Operador Nacional do Sistema, em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, 7 de agosto. A expectativa do ONS é de que com a entrada do modelo na formação de preços a partir de janeiro de 2021 também haja redução de Encargos de Serviços do Sistema.

O modelo de despacho de curtíssimo prazo será implantado em duas fases, conforme previsto na Portaria 301, do Ministério de Minas e Energia. Na primeira, ele será usado na operação, e, na segunda fase, no cálculo do Preço de Liquidação das Diferenças a cada 60 minutos. Além de definir o PLD Horário, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica vai usar o preço nos processos de contabilização e de liquidação do mercado de curto prazo.

Com a entrada do Dessem, detalhou o ONS, a proposta de geração das usinas, que é feita pelos agentes, será substituída pelos resultados do novo modelo. A geração prevista será, no entanto, validada pelos geradores, ainda na etapa de programação. Eles “poderão fazer ajustes necessários para tornar suas curvas de geração viáveis para a operação.”

Em fase de testes, na chamada “Operação Sombra”, o modelo já calcula o CMO, o balanço de energia e a previsão de geração por fonte para o dia atual em intervalos de 30 minutos. O mesmo acontece com o PLD horário. Em ambos os casos, os valores já estão disponíveis para consulta.

A portaria do MME também aprovou aperfeiçoamentos nos modelos matemáticos de médio prazo (Newave) e de curto prazo (Decomp), usados pelo ONS. O Newave utiliza cenários hidrológicos de cinco anos; enquanto o Decomp é usado no Programa Mensal de Operação. As mudanças nesses modelos também serão aplicadas a partir de 2020