EDP aplica mais de R$ 15 milhões em subestação em Suzano

Nova estação irá expandir a capacidade do sistema energético da cidade em 45%; Obra está em fase de construção civil e tem previsão de energização para dezembro deste ano

A distribuidora EDP iniciou as obras da Estação de Transformação de Energia (ETD) Dona Benta, no município de Suzano. Com investimento de mais de R$ 15 milhões, a unidade beneficiará aproximadamente 120 mil clientes ao aumentar capacidade do sistema energético em 45%, passando dos atuais 146 MVA para 212 MVA. Localizada no bairro que leva o mesmo nome da instalação, a Subestação Dona Benta está em fase de construção civil e montagens eletromecânicas, e a previsão para sua energização é dezembro deste ano.

A obra visa acompanhar o crescimento e desenvolvimento econômico de Suzano nos próximos anos, além de trazer maior robustez ao sistema existente. Atualmente o município conta com três SEs. A nova Estação também terá a função de ampliar a flexibilidade do sistema energético de outras cidades do Alto Tietê, pois será interligada a cinco unidades já existentes, as subestações Suzano, Itaquaquecetuba, Pedreira (Itaquá), Manoel Areias Pereira e Brás Cubas (Mogi das Cruzes).

Equipada com as últimas tecnologias relacionadas a eficiência e segurança, a ETD Dona Benta (88/13,8 kV) terá capacidade de 66 MVA, distribuídos em oito alimentadores de média tensão. A unidade contará ainda com um sistema de acústica para evitar a propagação do som para o meio externo, reforçando os princípios de menor impactos ao meio ambiente. A estação é 100% digitalizada e tem sua supervisão, comando, controle e proteção operada e supervisionada de forma remota via Centro de Operação Integrado (COI), localizado na sede da EDP, em Mogi das Cruzes.

Para conectar a Estação ao sistema da distribuidora, será construída uma nova rede com tecnologia que propiciará maior proteção, minimizando o impacto de agentes externos, como a vegetação, um dos principais ofensores da qualidade do fornecimento de energia em dias de fortes ventos e chuvas.

Segundo Lauro Ribeiro, gestor executivo de engenharia da EDP, as obras visam garantir o atendimento aos clientes, reforçando a confiabilidade e a qualidade do fornecimento de energia “dentro de elevadas condições técnicas e de segurança”, ressaltou. Atualmente, a EDP atende cerca de 5 milhões de pessoas em 28 municípios paulistas, por meio de 63 subestações.