Linha de transmissão desarma após queda de torres em MG

ONS declarou que indisponibilidade da LT São Simão - Água Vermelha não apresentou consequências ao SIN. Cemig afirma que fortes ventos derrubaram as estruturas e que as mesmas devem estar prontas em 15 dias

Um curto-circuito trifásico provocado pela queda de quatro torres no começo da noite do último domingo (01) desarmou a Linha de Transmissão em 500 kV São Simão – Água Vermelha, em um trecho há 70 Km da hidrelétrica São Simão, próximo a cidade de Iturama, Minas Gerais. A informação deriva do boletim diário do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que afirmou que a indisponibilidade da linha não trouxe quaisquer transtornos ou limitações para a operação do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Segundo a Cemig, dona do ativo, imediatamente após a ocorrência, às 19:04 horas, equipes de manutenção da companhia foram acionadas e rapidamente localizaram, perto de Iturama, quatro torres de transmissão tipo “V” caídas ao solo. As apurações preliminares dão conta de que as quedas foram provocadas por fortes ventos que atingiram a região.

Os trabalhos contam com a atuação de cerca de 100 profissionais entre engenheiros, técnicos e eletricistas, oriundas de diversas regiões do estado, além das equipes de linhas da distribuição já também foram mobilizadas e estão atuando no local. Parte das equipes já foram transportadas por avião e helicóptero da companhia e a logística para transportar três estruturas pré-montadas e uma a montar também já foi iniciada.

A previsão é de que as novas estruturas estejam em operação até 15 dias, devido à grande complexidade e dificuldade de acesso ao local dos serviços. A empresa ainda salienta que esta ocorrência representa a maior  queda de torres de 500KV em sequência da história da empresa, atribuindo a esse fato o tempo maior necessário à recomposição e manutenção dos ativos.