Enel acerta compromisso de redução de 70% das emissões até 2030

Compromisso com inicativa global da ONU também envolve redução em 16% suas emissões indiretas pela venda de gás natural no mercado varejista até 2030

Com o novo compromisso de reduzir em 70% suas emissões diretas de gases de efeito estufa por kWh até 2030, desde o ano base 2017, a Enel se tornou um dos primeiros a aderir a meta de redução de emissões, de acordo com a atualização de abril de 2019 da iniciativa “Science Based Targets”. Além disso, a Enel se comprometeu a reduzir em 16% suas emissões indiretas pela venda de gás natural no mercado varejista até 2030, a partir do ano base 2017. O SBTi é a iniciativa mais reconhecida do mundo que defende o estabelecimento de metas científicas para aumentar o compromisso das empresas em apoiar a transição para uma economia de emissão zero. Ele fornece às empresas um caminho para identificar quanto e em que velocidade elas precisam reduzir suas emissões de gases de efeito estufa, visando reduzir o aumento da temperatura global.

O compromisso da Enel no SBTi, que está em linha com o mapeamento do Grupo para zero emissões até 2050, está de acordo com as necessidades de reduções de gases de efeito estufa para manter o aquecimento global bem abaixo de 2°C. De acordo com Francesco Starace, CEO e diretor geral da Enel, ao reduzir as emissões diretas em 70% com a implementação dessa nova meta científica, a empresa vai estar no caminho certo, 20 anos do prazo de 2050, para alcançar a sua meta completa de descarbonização. Para o executivo, as mudanças climáticas representam um grande desafio, mas também uma grande oportunidade, com as renováveis contribuindo significativamente para o crescimento da Enel e a sustentabilidade como uma importante força na criação de valor.

A nova meta certificada da Enel segue o compromisso assinado pelo CEO do grupo, em julho de 2019, de cumprir o objetivo em limitar o aumento máximo da temperatura global para 1,5 ° C a partir dos níveis pré-industriais e atingir zero emissões até 2050, de acordo com a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU ODS13. A iniciativa visa responder à chamada lançada pela ONU na preparação para a cúpula climática prevista para 23 de setembro em Nova York.

A Enel foi uma das primeiras empresas do mundo a ingressar no SBTi em 2015, quando certificou uma meta científica para reduzir em 25% as emissões de gases de efeito estufa por kWh em 2020 em relação a 2007. As emissões de gases de efeito estufa por kWh foram reduzidas em 21% comparado a 2007, e continuará essa tendência através de grandes investimentos em renováveis, previsto 52,6 bilhões de reais de investimento bruto até 2021. O Grupo, através da Enel Green Power, atualmente o maior participante renovável privado do mundo, possui atualmente mais de 43 GW de capacidade renovável gerenciada e adicionará cerca de 11,6 GW até 2021, equivalente a um aumento de mais de 25%, ao mesmo tempo em que reduz a capacidade térmica em cerca de 7 GW de mais de 46 GW atualmente, equivalente a uma redução de mais de 15%. A implementação dessa estratégia ajudará a empresa a atingir 62% da produção livre de emissões até 2021.

O SBTi é uma colaboração entre o CDP, o Pacto Global das Nações Unidas, o World Resources Institute e o World Wide Fund for Nature. Ele fornece às empresas um caminho para identificar quanto e em que velocidade elas precisam reduzir suas emissões de gases de efeito estufa, visando reduzir o aumento da temperatura global. Pela atualização de abril de 2019, o SBTi agora permite que as empresas estabeleçam metas de redução de emissões de acordo com o objetivo mais ambicioso do Acordo de Paris de 2018 sobre Mudanças Climáticas: limitar o aquecimento global a 1,5 ° C acima dos níveis pré-industriais.