Renováveis exigirão investimentos em baterias e térmicas, diz Iberdrola

Presidente da companhia espanhola, Ignacio Galán, discursou em evento em São Paulo nesta quinta-feira, 10 de outubro

Em evento em São Paulo nesta quinta-feira, 10 de outubro, o presidente da espanhola Iberdrola, Ignacio Galán, destacou a importância do Brasil para o grupo, que controla a Neonergia, e também falou dos planos de investimento no país e da expectativa positiva em relação ao crescimento do mercado de energia.

O executivo voltou a falar sobre os R$ 30 bilhões que sua controlada pretende investir no Brasil até 2023, em projetos de geração, transmissão e distribuição de energia.  Galán falou também sobre as expectativas de retomada do consumo de energia no país e que a expansão das fontes eólica e solar abrem espaço para investimentos em tecnologias de armazenamento de energia e de geração térmica.

“A instalação de mais fontes renováveis exigirá o aumento da capacidade de armazenamento e fontes de backup. Baterias e usinas a gás serão necessárias para evitar gargalos enfrentados no passado”, disse Galán, a uma plateia de executivos e autoridades.

O executivo reforçou o compromisso da companhia em seguir investindo no Brasil. Ele disse ainda que a liberalização pretendida para o mercado de energia brasileiro constitui “uma oportunidade adicional” para o país, desde que seja permitido que os diferentes agentes acessem os clientes finais para aumentar a gama de produtos e serviços disponíveis.

“O investimento no setor de energia e, em particular, na eletricidade, é um dos principais motores de crescimento do Brasil na próxima década”, afirmou Galán,

Para que a expansão do setor se torne uma realidade, disse, é necessário, porém, que a regulação se mantenha previsível e que o planejamento seja adequado. “O Brasil possui estruturas sólidas, mas requer processos mais dinâmicos de licenciamento para a antecipação dos investimentos”, afirmou o presidente da Iberdrola.