MME autoriza eólicas a emitir debêntures de infraestrutura

Projetos de PCHs e UTE também foram considerados prioritários pelo ministério

O Ministério de Minas e Energia classificou como prioritários os projetos da EOL Corrupião 3 (14 MW), EOL Coqueirinho 2 (20 MW), ambas no município de Pindaí, na Bahia e da EOL Cristalândia I (30 MW), localizada no município de Dom Basílio, também na Bahia, segundo portarias publicadas no Diário Oficial da União da última quarta-feira, 4 de maio.

Outros projetos que também receberam o benefício foram a EOL Vila do Amazonas V (30 MW), EOL Vila do Pará II (30 MW), EOL Vila do Pará I (30 MW) e EOL Vila do Pará III (30 MW), todas localizadas no Estado do Rio Grande do Norte. Os projetos da A EOL Pitombeira (27,3 MW) e EOL Goiabeira (23,1 MW), no Ceará, também foram classificados como prioritários. Já no Estado do Piauí, as beneficiadas foram a EOL Porto Salgado (20 MW), EOL Delta do Parnaíba (30 MW) e EOL Porto das Barcas (20 MW).

Ainda nessa edição do Diário Oficial, também foram classificados como prioritários os projetos da PCH Senhora do Porto (12 MW), PCH Fortuna II (9 MW), PCH Jacaré (9 MW) e PCH Dores de Guanhães (14 MW), localizadas no Estado de Minas Gerais. O projeto da UTE Porto das Águas (45 MW), localizada em Goiás, também foi classificado como prioritário pelo MME.