Eletrobras tem 10 dias úteis para apresentar recurso à NYSE

Estatal ressaltou que buscará todos os recursos cabíveis para evitar o cancelamento do registro das ações nos Estados Unidos

A Eletrobras tem dez dias para úteis para encaminhar as preliminares do recurso que pretende apresentar contra a decisão que suspendeu a negociação das ações da empresa na bolsa de Nova Iorque, a NYSE. Em comunicado ao mercado a estatal afirmou que esse prazo foi dado por meio de ofício da bolsa nova-iorquina e terá esse mesmo tempo para se manifestar se deseja fazer uma apresentação oral ao comitê do Conselho de Administração da NYSE ao custo de US$ 20 mil. Nesta quinta-feira, 19 de maio, os papeis da empresa começaram a ser negociados no mercado de balcão.

No comunicado a Eletrobras não afirmou diretamente qual dessas medidas adotará, reiterou o que já afirmou em outras oportunidades que, “pretende apresentar todos os recursos cabíveis, conforme Fato Relevante publicado em 17 de maio de 2016”. A empresa está inadimplente quanto ao envio do formulário 20-F sobre as demonstrações financeiras dos exercícios de 2014 e de 2015.
O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da empresa, Armando Casado de Araújo, negou em teleconferência com analistas e investidores, ainda nesta semana, que a suspensão e a deslistagem da companhia na NYSE levaria a um vencimento de dívidas da empresa na ordem de R$ 40 bilhões como o ministro do Planejamento, Romero Jucá havia afirmado. A informação foi reiterada no comunicado de que não há convenants caso a empresa fosse deslistada da NYSE. E ainda, ressaltou que está adimplente com as obrigações financeiras perante seus credores titulares de bônus internacionais.
Na quarta-feira, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, destacou após sua participação na 13ª edição do Encontro Nacional do Setor Elétrico (Enase), evento que é realizado no Rio de Janeiro, que o governo tem a meta de pleitear o retorno das negociações das ações antes de se iniciar o processo de deslistagem da companhia, que deverá durar entre dois e três meses. E que pediu ao presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto todo o esforço para que as investigações acerca das irregularidades na empresa possam apresentar alguma conclusão nesse período, e assim proporcionar o conforto necessário à auditoria para assinar o relatório de 2014 e assim apresentá-lo à SEC.