CCEE aponta aumento de 2% na geração e no consumo em julho

Fonte com maior produção é a eólica, com geração de 4.285 MW médios, montante 71,5% superior ao alcançado em julho de 2015

Dados preliminares de medição coletados entre os dias 1º e 12 de julho indicam aumento de 2,2% na geração e de 2,1% no consumo de energia elétrica no país, frente ao mesmo período de 2015, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.
 
O consumo de energia somou 57.163 MW médios com queda de 0,5% no mercado cativo e incremento de 10% no ambiente de contratação. Dentre os ramos da indústria avaliados pela CCEE, incluindo dados de autoprodutores, consumidores livres e especiais, todos os setores registram aumento no consumo, exceto o de minerais não metálicos (-14,1%). Os ramos de comércio (+40%), manufaturados diversos (+25,1%) e alimentício (+24,9%) registraram os maiores aumentos no consumo em julho.
 
Em julho, a análise do desempenho da geração indica a entrega de 59.422 MW médios ao Sistema Interligado Nacional. A fonte com maior incremento na produção é a eólica, com geração de 4.285 MW médios, montante 71,5% superior ao alcançado no ano passado. A geração hidráulica também registrou aumento (+12,1%), com representatividade de 73,6% em toda energia gerada no país. O índice é 4,2 pontos percentuais superior ao registrado em 2015. Houve queda de 31,2% na produção das usinas térmicas, influenciada pelo desempenho das usinas a óleo (-90,8%), gás (-47,2%) e bicombustível (-44,3%).
 
A CCEE também apresenta estimativa de que as usinas hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia gerem, até a terceira semana de julho, o equivalente a 95,3% de suas garantias físicas, ou 46.835 MW médios em energia elétrica. Para fins de repactuação do risco hidrológico, este percentual foi de 91,5%.