Seca no Acre leva ESBR a solicitar à ANA mudança na vazão de Jirau

Alteração impediria que acesso ao estado ficasse impossibilitado pela baixa no rio

A Energia Sustentável do Brasil, que opera a UHE Jirau (RO -3.750 MW), enviou no início do mês um ofício para a Agência Nacional das Águas pedindo autorização para operar o reservatório da usina para chegar no nível d’água mínimo de 86m no rio Madeira, na região da Ponta do Abunã. Os baixos níveis no rio podem isolar o estado do Acre, acabando com a acessibilidade de balsas que transportam veículos que transitam na rodovia BR-364.

No ofício enviado no dia 13 de julho ao diretor-presidente da ANA, Vicente Andreu, a ESBR lembra que o reservatório da usina vem sendo deplecionado desde janeiro de 2016, tendo atingido o nível mínimo da usina de 82,5m. Essas baixas vazões podem vir a comprometer a acessibilidade ao estado. A operadora de Jirau também conta no ofício ter recebido convite da Agência Nacional de Transporte Aquaviário para reunião em que seria levado pleito das operadoras das balsas para aumentar a vazão do reservatório do AHE Jirau.

Como justificativa, a ESBR lembra que a resolução da ANA 269/2009 estabelece que o nível d’água normal do reservatório deverá variar acompanhando as condições naturais do rio, respeitando os níveis necessários para o transporte das balsas e para a manutenção dos usos múltiplos da água. Ainda de acordo com a ESBR, o NA de 86 m não impactaria na praia localizada na margem esquerda do rio. O Operador Nacional do Sistema e o Ministério de Minas e Energia já foram informados da situação.

Em resposta à Agência CanalEnergia, a ANA declarou que recebeu o ofício da ESBR e que ele está sendo analisado pela área técnica da agência. A ANA também alegou que o assunto requer consultas em vários órgãos dos governos federal e local.