Empresas pioneiras recebem certificado de energia

Grandes consumidores poderão comprar certificados dessas companhias para utilizar o selo verde em seus produtos

Quatro empresas receberam nesta quarta-feira, 31 de agosto, durante o Brazil Windpower, certificados de energia renovável por projetos que já haviam sido aprovados pelas instituições responsáveis. As empresas foram a Atiaia Energia, pela PCH Porto das Pedras; a CPFL Renováveis, com a PCH Ninho e a solar Tanquinho; a Honda Energy do Brasil, com o parque eólico de Shangri-la; e a Statkraft Brasil, com o parque eólico Macaúbas.

A partir dessa certificação, segundo o diretor do Instituto Tótum, Fernando Lopes, as empresas poderão emitir certificado de energia renovável para os consumidores interessados em declarar ao mercado que utilizam energia renovável em seus produtos, através de um selo verde. "O consumidor pode ter um PPA com essas empresas comprando só a energia ou pode adquirir um certificado de energia renovável para declarar que utiliza essa energia renovável em seu produto. É um valor extra que é pago, inclusive", explicou Lopes.

Ele contou que os consumidores procuram o instituto para saber como comprar esses certificados. Até o momento empresas como o Citibank, a EY, a Renner, a Nívea, a P&G, entre outras já adquiriram os certificados. "Essa é uma possibilidade de criar um produto diferenciado com valor agregado", comentou Elbia Gannoum, presidente executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica. Atualmente, uma PCH e oito eólicas estão em processo de certificação.

Com a finalidade de garantir que a energia consumida pelas empresas é mesmo renovável, a ABEEólica, a Abragel, o Instituto Tótum e a CCEE, assinaram nesta quarta-feira, 31, um acordo de cooperação. Pelo acordo, a CCEE, fará sempre que necessária, uma verificação de dados de geração de energia proveniente de fontes renováveis, assegurando a utilização dessas fontes.