ONS: dados preliminares apontam elevação da ENA no Sudeste e no Sul

No Nordeste e Norte do país a perspectiva para o final de janeiro piorou em comparação à semana passada

O Operador Nacional do Sistema Elétrico divulgou nesta quinta-feira, 5 de janeiro, os dados preliminares de afluências para o final de janeiro. A previsão é de uma melhora no submercado Sudeste/Centro- Oeste. A projeção é de que a Energia Natural Afluente para esta região, que concentra cerca de 70% da capacidade de armazenamento do Brasil fique em 78% da média de longo termo, ante uma estimativa inicial de 72%. No Sul há expectativa de elevação mais acentuada, passando de 115% da média para 201%.

No sentido contrário está o Nordeste, onde os novos dados apontam para ENA de 32% ao final de janeiro ante previsão de 41%. No Norte a redução é de 18 pontos, passou de 63% para 45% da MLT.
Os maiores volumes previstos por bacias estão concentrados no Paranapanema (Sul) com 161% da MLT, Iguaçu com 169%, Jacuí com 255% e Uruguai com 253%. Já as menores afluências projetadas estão no São Francisco com 32% da média histórica, 24% no Jequitinhonha e 8% no Paraguaçu. Por sua vez, no Tocantins a projeção é de 38% e no Amazonas é de 89% da MLT. Na região Sudeste o rio Grande tem previsão de 60% da média, Paranaíba com 57% e Tietê 73%, mesmo indicador do Alto Paraná, enquanto o Baixo Paraná está em 108%.
Já nas previsões por usina os destaques estão pela elevação das projeções para Passo Real e Itá, que passaram de 88% e 111% para 293% e 277%, respectivamente, uma vez que as afluências na semana que começa em 7 de janeiro e vai até 13 de janeiro estão previstas em 340% e 342% da MLT. No sentido contrário, apontam os dados preliminares do ONS, estão a queda de 10 pontos porcentuais na UHE Sobradinho, para 30% da MLT e de 19 p.p. na UHE Tucuruí, para 44% da média histórica.