Gastos com combustível de Angra são corrigidos para R$ 549,9 milhões

Correção autorizada pela Aneel altera receita fixa, mas valor só vai entrar no processo tarifário de 2017

A receita associada aos gastos com combustível nuclear das usinas Angra 1 e 2  passará de R$ 515,6 milhões para R$ 549,9 milhões. Com isso, a receita fixa das Centrais Geradoras Angra 1 e 2 para 2016 passa a ser de R$ 2,9 bilhões, valor que será incorporado à tarifa dos empreendimentos em 2017.

A correção dos valores da receita com combustíveis foi solicitada pela Eletronuclear à Agência Nacional de Energia Eletrica, em recurso contra a resolução da Aneel que  estabeleceu a receita de venda das centrais nucleares para 2016. A tarifa das usinas é de R$ 206,29/MWh. 

A empresa alegou que o custo do combustível calculado pela agência estava aquém dos R$ 648 milhões previstos para este ano, e sugeriu que fosse avaliada a atualização monetária do valor. A Aneel constatou que havia descasamento em relação ao custo reconhecido na tarifa, mas chegou a um valor menor do que o pedido pela Eletronuclear.

A agência reguladora suspendeu a análise dos pleitos relacionados ao Fundo de Descomissionamento das usinas e aos custos de operação e manutenção dos empreendimentos. A empresa alegou que a Aneel estimou os gastos do descomissionamento pela dólar médio de R$ 2,00, quando a cotação média da moeda americana em 2015 foi de R$ 3,22.