Leilão de transmissão termina com mais da metade dos lotes licitados

Chineses da State Grid levaram dois lotes; Alupar e Taesa voltam a figurar

Terminou a pouco na BM&FBovespa, em São Paulo, o primeiro leilão de transmissão do ano promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica. O certame licitou 14 (58,33%) dos 24 lotes ofertados. O leilão não teve muita disputa, com exceção dos lotes I e W. O lote I teve 237 lances a viva-voz, enquanto o W, 11 lances. Não tiveram interessados os lotes B, D, G, H, J, K, N, Q, U e V. 

O Consórcio Transmissora do Brasil, liderado pelo Pátria Investimentos (99%), levou o Lote A, o maior do leilão. A oferta vencedora foi de R$ 404,9 milhões de Receita Anual Permitida, o teto oferecido pela Aneel. O empreendimento é uma expansão estrutural da Rede Básica dos Estados do Maranhão, Piauí e Ceará, visando escoamento de futuras usinas eólicas.

O leilão desta quarta-feira, 13 de abril, também marcou o retorno de empresas tradicionais do setor. A Alupar levou os lotes I e T. O primeiro empreendimento trata-se de reforço da rede na região Nordeste, o segundo visa atendimento à região Sul do estado do Espirito Santo. A RAP de R$ 48,4 milhões do Lote I representou um deságio de 11,01% em relação à receita máxima de R$ 54,4 milhões. A Taesa, braço de transmissão da Cemig, levou sem deságio o lote P pela RAP de R$ 56 milhões.

A chinesa State Grid Brazil Holding levou os lotes C e O. O primeiro trata-se de um sistema para escoar a energia das hidrelétricas Foz do Apiácas, São Manuel, Sinop, Colider e Teles Pires; o segundo visa melhorar o atendimento à Cemat e reforçar sistemas para conexão de PCHs. O Lote C foi arrematado sem deságio pela RAP de R$ 334,5 milhões e o lote O pela RAP R$ 58,2 milhões, deságio de 5,29%.

A WPR Participações, empresa do grupo WTorre, levou o lote E, com RAP de R$ 121,6 milhões e deságio de 14,05%, e o lote M, com RAP de R$ 59,5 milhões e deságio 15,07%. O Lote F foi arrematado pela RAP máxima de R$ 145,2 milhões pelo Consórcio KV-LT. O lote L foi vencido F2C Empreendimentos com RAP de R$ 17,3 milhões e deságio de 0,63%. O consórcio BraferPower levou o lote Q com a RAP máxima de R$ 40 milhões. A Zopone Engenharia e Comércio arrematou o lote S, com a RAP máxima de R$ 31,1 milhões. Já o lote X foi arrematado pela GeoGroup com RAP de R$ 9,5 milhões e deságio de 11,36%.