Pimentel nega saída de Mauro Borges da Cemig

Governador de Minas classificou como boato notícia sobre pedido de demissão do executivo

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, negou nesta quarta-feira, 6 de janeiro, que o presidente da Cemig, Mauro Borges, tenha pedido demissão do cargo. Em coletiva, Pimentel disse que Borges continua no cargo e que tem o apoio do governo do estado na continuidade da sua gestão, classificando tudo como ‘boato’. Notícias veiculadas pela imprensa diziam que o executivo teria pedido demissão por estar sendo investigado pela operação Acrônimo da Polícia Federal.

"Não houve pedido de demissão do presidente da Cemig, ele está no cargo", disse o governador em coletiva na sede do governo. Ele ainda elogiou a conduta de Borges na estatal mineira. "Acho que ele está se saindo muito bem à frente da empresa", observou. Durante a coletiva, funcionários da Cemig protestavam em frente ao Palácio da Liberdade, em razão da greve e de melhores condições de trabalho. Pimentel disse que respeitava a manifestação, mas que não poderia interferir nas negociações entre a direção da companhia e os sindicatos, pelo fato da Cemig ser uma estatal com ações listadas em bolsas de valores e acionistas privados.