Chuvas se mantêm acima da média no Sudeste e no Sul

Preocupação agora é com o Norte que tem projeção de encerrar dezembro com apenas 34% da média histórica de vazões

As regiões Sudeste e Sul do país continuam a apresentar afluências acima da média histórica. Na revisão semanal que o Operador Nacional do Sistema Elétrico faz do programa mensal de operação a nova projeção é de energia natural afluente de 126% e de 250% da média de longo termo. Enquanto isso, as estimativas para as duas outras regiões ficaram mais pressionadas, principalmente no Norte com uma perspectiva de afluência de 34% da MLT, abaixo até que a do Nordeste que está com ENA prevista em 41% da média histórica.
Como resultado dessa revisão, a expectativa do ONS é de que o nível de armazenamento dos reservatórios no Nordeste fique um pouco melhor que o projetado na semana passada esperava-se 7,5% e a nova projeção é de 8,9%. No Norte a nova estimativa é de 16% de uso da capacidade dos reservatórios ante uma estimativa de 22,8% da semana anterior. Já no Sudeste a previsão passou de 35,4% para 34,6% enquanto no Sul, a previsão é de encerrar dezembro com 97,2%.
A nova projeção de carga aponta para uma retração de 2,3% ante o mesmo mês do ano anterior. Essa previsão deve-se, principalmente, aos submercados SE/CO onde o recuo na demanda deverá ficar em 3,5% e no Sul a queda é a maior do país com 8,5%. Já nos dois outros submercados há expectativa de crescimento, no NE quase não houve variação na expectativa com um aumento esperado na casa de 3,6%, e no Norte a demanda estimada é 8,5% maior, sempre lembrando que houve a integração de Macapá ao SIN,  que contribui para elevar os indicadores de demanda.
Com esses números o CMO continua descolado em todas as regiões para a semana operativa que começa neste sábado, 12 de dezembro. O valor no SE/CO está em R$ 92,18/MWh, sendo que os patamares de carga pesada e a leve estão a R$ 95,93/MWh, mesmos valores registrados no Sul que tem o CMO médio menor em função de ter zerado o valor para a carga leve, ante os R$ 85,61/MWh no SE/CO. No Norte os patamares pesado e médio estão em R$ 153,61/MWh e o leve em R$ 152,55/MWh o que leva o CMO médio a R$ 153,23/MWh. Por sua vez, no NE está novamente o maior valor com a média de R$ 268,92/MWh sendo que a pesada e média estão em R$ 335,26/MWh e a leve em R$ 152,55/MWh.
A geração térmica para a semana está prevista em 11.742 MW médios o menor volume em vários meses. A maior parte, 7.266 MW médios por ordem de mérito, 3.153 MW médios por garantia energética, 844 MW médios por inflexibilidade e 479 MW médios por restrição elétrica.
A previsão do tempo indica que deverá ser registrada chuva de intensidade fraca a moderada nas bacias do Tietê, Grande, Paranaíba e Alto São Francisco no início da semana. Já no decorrer dos dias a previsão é de chuvas fracas a moderadas nas bacias da região Sul e Sudeste/Centro-Oeste. A bacia do Tocantins continua com previsão de precipitações fracas.
Para checar a evolução do CMO e gerar gráficos com múltiplos parâmetros acesse o Monitor Energia disponível para assinantes do CanalEnergia Corporativo