Leilão de LTs: Oito lotes não despertam interesse das empresas

Dos quatro lotes que receberam ofertas, apenas um teve pequeno deságio de 6,14%

Com pouco menos de uma hora de duração, o leilão de transmissão nº 5/2015 foi encerrado com oito lotes sem receber propostas – B, C, D, F, H, I, J e K. De um total de 12 lotes ofertados, apenas quatro atraíram interessados, sendo que somente o lote G, arrematado pela Planova Planejamento e Construções, teve um deságio de 6,14% em relação a Receita Anual Permitida inicial de R$ 64.460.180,00. Em nenhum dos lotes arrematados houve disputa.

Esse é mais um entre os últimos leilões de transmissão em que as empresas não se apresentam para disputar os projetos. Muitas tem alegado que só voltam aos certames após o recebimento da indenização dos ativos anteriores a 2000, o chamado RBSE. Outras ficaram impedidas de participar devido ao atraso em obras já licitadas.

Além do lote G, também receberam propostas os lotes A, E e L. Destaque para o Consórcio TCL, formado pela Cymi Holding (49,5%), Lintran do Brasil (49,5%) e Brookfield (1%), que conquistou a concessão do Lote A, o maior do certame, pelo valor de receita anual de R$ 448.842.700,00, sem deságio. O empreendimento em Minas Gerais é composto por 11 linhas, totalizando 1.040 km de extensão e nove subestações. As obras precisam entrar em operação 4 de março de 2021.

A Copel GT ficou com o Lote E com a proposta de R$ 97.948.313,00, também sem deságio. O empreendimento é composto pelas linhas Curitiba Leste – Blumenau C1, com 142 km; Uberaba – Curitiba Centro C1 e C2, com 8 km; Baixo Iguaçu – Realeza, com 38 km; e pelas subestações Curitiba Centro; Medianeira e Andirá Leste. As LTs Curitiba Leste e Blumenau precisam entrar em operação em 4 de março de 2021, enquanto as demais instalações o prazo é 4 de setembro de 2019.

Já o lote L foi arrematado pelo consórcio Firminópolis, composto pela Cel Engenharia (51%) e Celg GT (49%), com a proposta de R$ 6.550.235,00, sem deságio. O empreendimento é composto pela linha Trindade-Firminópolis, com 83 km de extensão, em 230 kV, em Goiás.

Os 12 lotes somavam 4.600 km de linhas e 23 subestações, distribuídos por 13 estados. A expectativa inicial do governo era de que R$ 7,5 bilhões de investimento seriam viabilizados, com a perspectiva de geração de 17,8 mil empregos diretos caso todos os lotes tivessem sido leiloados. O certame aconteceu nesta quarta-feira, 18 de novembro, na Bolsa de Valores de São Paulo.