Enel tem lucro de 2 bi de euros no mundo

Capacidade de geração aumentou 1 GW para 10 GW com destaque para o crescimento da solar fotovoltaica no Brasil

A italiana Enel apresentou um aumento de 7,3% em seu lucro líquido acumulado em 2015 ante 2014. A empresa reportou ganhos de 2,089 bilhões de euros ante 1,947 bilhão no ano passado. O resultado ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 4,9% para 12,161 bilhões de euros. A receita total somou 55,998 bilhões de euros, elevação de 3,6%. De acordo com o CEO da empresa, Francesco Starace, a América Latina se destacou nos resultados da companhia assim como o segmento de renováveis.
A empresa atua com a distribuição e geração de energia e distribuição de gás. Em termos de geração nos nove meses do ano houve alta de 1,5% ante o mesmo período de 2015 com 213,7 TWh ante 210,5 TWh. Nessa linha do balanço o destaque se deu pelo desempenho na península ibérica com a Endesa e na América Latina que apresentou aumento de 1,8 TWh devido às atividades da Enel Green Power. Desse volume, 54,1% tem origem de fontes térmicas convencionais, 31,8% de renováveis e 14,1% da fonte nuclear.
Já em termos de distribuição de energia no acumulado do ano a empresa somou 313,5 TWh, sendo que 169,4 TWh na Itália e os 144,1 TWh nos demais países de atuação. Na América Latina, o destaque é o aumento da demanda, à exceção do Brasil, destacou a Enel.
A Enel Green Power, por sua vez apresentou um lucro liquido de 245 milhões de euros nos nove meses de 2015, um resultado 38% menor do que o reportado pela empresa no mesmo período do ano passado quando obteve 395 milhões de euros. O resultado ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 11,6% para 1,470 bilhão de euros. A receita total somou 2,242 bilhões de euros, elevação de 7,6%.
A capacidade instalada da empresa ao final de setembro somou 10,6 GW, sendo que destes, 6,6 GW são da fonte eólica. Houve um aumento de 1,12 GW em projetos quando comparado à capacidade de geração em igual período anterior. Esse aumento, destacou Francesco Venturini, CEO da EGP, teve destaque nos negócios da empresa nas Américas, além de marcar ainda a chegada da empresa no mercado da Índia, primeiro movimento da EGP na Ásia.
Ao final de setembro a capacidade instalada da EGP na América Latina somou 2 GW, um aumento de 42,9% quando comparada ao mesmo mês de 2014. A geração total da empresa no mundo alcançou 24,9 TWh, um aumento de 1,4% ante o ano passado.
A empresa destacou que se tornou o maior player em energia solar fotovoltaica aqui no Brasil com 553 MW em capacidade. Essa capacidade foi aumentada com o resultado do leilão de energia de reserva de agosto que proporcionou a venda de entrada de três projetos: Horizonte MP (103 MW), Lapa (158 MW) e Nova Olinda (292 MW).Os dois primeiros na Bahia e o último no Piaui.