Salto Grande rebaixa reservatório para controlar plantas aquáticas

Iniciativa inibe a proliferação de insetos e moluscos, normalmente associados a doenças de vinculação hídrica

De 21 de setembro a 5 de outubro, a Duke Energy promove mais uma operação para controle de plantas aquáticas no reservatório da hidrelétrica Salto Grande, em parceria com a prefeitura. A ação requer a redução do nível do reservatório em cerca de dois metros e tem o aval do Operador Nacional do Sistema Elétrico e do Ibama.

 “Com essa operação preventiva, a companhia atua para diminuir o crescimento excessivo das plantas aquáticas no reservatório, melhorando assim, seu uso por toda a população local, seja na orla urbana ou em área dos ranchos de pesca”, comenta o consultor de Meio Ambiente da empresa, Norberto Vianna. Esta é a décima vez que a Duke Energy realiza este trabalho. A iniciativa inibe a proliferação de insetos e moluscos, normalmente associados a doenças de vinculação hídrica.
 
A redução do nível da água expõe as plantas presentes nas bordas, possibilitando a remoção pela prefeitura e a comunidade, em um mutirão de limpeza. De acordo com Vianna, com o controle das plantas, a tendência é ampliar o fluxo de água nos braços do reservatório, bem como aumentar o oxigênio dissolvido nos períodos noturnos. Com auxílio de moradores e rancheiros, é esperada, também, a retirada de lixo indevidamente despejado no lago.
 
“Ao propiciar melhorias ecológicas no reservatório da hidrelétrica Salto Grande, essa ação contribui para a exploração sustentada do turismo, favorecendo a navegação, pesca esportiva, banhos e outras atividades de lazer”, ressalta Vianna. Do ponto de vista da operação da usina, o controle das plantas aquáticas reduz as chances de perda momentânea da potência das turbinas geradoras de energia.
 
Sobre o aumento das plantas, Vianna explica que isso decorre de fatores comuns neste trecho do rio Paranapanema: calor, farta luminosidade e, principalmente, a existência de nutrientes. O gerente lembra que o rio Paranapanema é, de maneira geral, um rio de águas limpas, e que esse fenômeno não ocorre de maneira parecida em outros trechos.

A participação das pessoas é fundamental na limpeza das margens, pois é necessário levar as algas até locais onde é feita a coleta por caminhões da prefeitura, de maneira que as plantas não sejam devolvidas ao reservatório. Para conscientizar sobre a importância desse envolvimento, a Duke Energy realizada campanha junto aos moradores e proprietários de ranchos, através de distribuição de folhetos, faixas, cartazes e mensagens em carro de som. “Esse trabalho de divulgação vem sendo feito desde o dia 10 de setembro. Contamos com o pleno envolvimento da comunidade”, expõe Vianna.