Para Norte Energia, aumento do preço em Belo Monte é a correção monetária

Em nota à imprensa, empresa que constrói usina alega que investimento foi idealizado com valores de mercado

A Norte Energia S.A reafirmou em nota para a imprensa que o valor do investimento na construção da UHE Belo Monte (PA – 11.233 MW) é de R$ 25,8 bilhões, que foi a proposta vencedora do leilão público realizado em abril de 2010. Segundo ela, o valor de R$ 32 bilhões nada mais seria do que o valor do leilão corrigido monetariamente.

A nota diz que o investimento de Belo Monte é balizado por valores de mercado da época. A proposta vencedora representou um deságio de 6% sobre o valor da tarifa de energia de R$ 83/MWh, sendo esse preço aprovado pelos órgãos públicos e de fiscalização e controle para o leilão. O empreendedor ofertou o valor de R$ 77,97/MWh para a venda de 70% da energia que se destina as 27 distribuidoras de 17 estados brasileiros.

Segundo a nota, os contratos de venda de energia da usina e são reajustados pelo IPCA desde abril de 2010, conforme regras do Leilão e do Contrato, que estabelece o equilíbrio do contrato e a manutenção da atratividade do empreendimento para todos os investidores. Com isso, o retorno do investimento está assegurado aos acionistas e segue padrões de projetos de longo prazo da área de infraestrutura.

A Norte Energia diz que o valor da hidrelétrica inclui todos os custos necessários para a geração de energia elétrica, mais a execução do Plano Básico Ambiental formado por 144 programas contendo milhares de obras nas áreas de educação, saúde, habitação, saneamento, segurança, infraestrutura urbana e lazer e ações de cunho ambiental, educacional e social nas áreas urbanas e rurais de 11 municípios da área de influência do empreendimento, incluindo as terras indígenas.

A empresa responsável pela construção e operação da usina esclarece ainda que as demonstrações financeiras estão auditadas, aprovadas e disponíveis e que está aberta a prestar todos os esclarecimentos necessários para a sociedade.