Engie, ex-GDF, estuda participar de licitação da ANP de olho no gás

Leilão está previsto para ocorrer em 7 e 8 de outubro; empresa pede mais abertura na regulação do setor de gás

O presidente-executivo da Engie Brasil, Maurício Bahr, revelou nesta quarta-feira, 10 de junho, durante evento no Rio de Janeiro, que a companhia estuda participar da 13 ª Rodada de Licitações de Blocos Exploratórios de Petróleo e Gás Natural. O foco é na exploração de gás natural e a Engie deve ir ao leilão em parceria com outras empresas. "Nossos técnicos estão olhando e vamos ter essa conclusão em breve. É um campo que a gente quer se desenvolver", disse o executivo.

Bahr ainda defendeu uma regulação mais aberta para o setor de gás brasileiro, com flexibilidades para se importar GNL e ter acessos aos terminais de regaseificação. "A gente precisa de um pouco mais de abertura no setor de gás para desenvolver projetos."  A Engie, ex-GDF Suez, é controladora da Tractebel Energia, uma das maiores geradoras térmicas privadas do Brasil. "Acreditamos que o gás é um ponto importante na matriz. A geração termelétrica a partir do gás vai ajudar a combater eventuais secas e vai ajudar a contrabalancear a intermitência da eólica e solar", lembrou o executivo.  

A 13º Rodada de Licitações está prevista para ocorrer em 7 e 8 de outubro. Do total de blocos, 182 são localizados nas bacias terrestres do Amazonas, Parnaíba, Recôncavo e Potiguar e 84 nas bacias marítimas de Sergipe-Alagoas, Jacuípe, Espírito Santo, Campos, Camamu-Almada e Pelotas. Serão ofertadas ainda 11 áreas inativas com acumulações marginais, nas bacias do Recôncavo, Tucano Sul, Paraná, Barreirinhas, Potiguar e Espírito Santo, totalizando uma área de 58,4 km². A Engie tem participação em blocos no Recôncavo e Parnaíba.