Positiva recebe apoio internacional para investir em energia no Brasil

Empresa foi fundada por Flavio Godinho e Eduardo Karrer, e tem como sócio Xisto Vieira. Aporte veio do Barclays Natural Resource Investments

A Companhia Positiva de Energia anunciou nesta terça-feira, 9 de junho, ter recebido suporte de capital do Barclays Natural Resource Investments (“BNRI”), a divisão de private equity de recursos naturais do Barclays Bank Plc, para investir em energia no Brasil. O propósito da Positiva é adquirir e desenvolver projetos de gás natural, biomassa e solar. O anúncio marca o primeiro investimento do BNRI no Brasil.

Fundada por Flavio Godinho, ex-Conselheiro da MPX e da EBX, e por Eduardo Karrer, ex-CEO da MPX e da El Paso Brasil, a Positiva é formada por um time de executivos do setor elétrico brasileiro que trabalham juntos há mais de 12 anos, com foco no desenvolvimento de projetos de geração de energia elétrica. Inicialmente na El Paso Corporation e mais recentemente na MPX e Eneva, esse time foi responsável pela implantação de mais de 4.500 MW de projetos de geração termelétrica, atualmente em operação no Brasil.

Xisto Vieira, sócio da Positiva e ex-secretário nacional de energia, comentou: “Agora é o momento certo para desenvolver projetos de energia no Brasil, de modo a permitir que o país diversifique sua matriz energética, excessivamente dependente da geração hídrica. Por meio da nossa sociedade com o BNRI, a Positiva poderá acelerar a execução do seu plano de negócios, que vai da aquisição ao desenvolvimento de projetos, em consonância com nossa experiência prévia no setor”.
 
Jason Siegel, do BNRI afirmou: “Estamos muito satisfeitos com a associação com a Positiva, que detém um comprovado histórico de geração de valor no setor elétrico brasileiro. A parceria com a Positiva está em linha direta com a nossa estratégia de identificar e apoiar os melhores times de executivos em suas respectivas áreas de atuação. Estamos confiantes que os nossos sócios replicarão, na Positiva, o mesmo histórico de sucesso”.