MME autoriza eólica da Chesf na Bahia a emitir debêntures

Ministério também enquadra eólicas no Sul como projeto prioritário

O Ministério de Minas e Energia enquadrou a EOL Banda de Couro (BA – 29,7 MW), de propriedade da Chesf (49%) e da Brennand Energia (51%), como projeto prioritário. Dessa forma, a usina está autorizada a emitir debêntures de infraestrutura. Como esse tipo de papel é mais atrativo, contribui na situação em que o agente necessite captar recursos no mercado para financiar o projeto. A usina foi licitada no leilão de energia nova A-5, que ocorreu em 13 de dezembro de 2013. A construção será empreendida no município de Sento Sé, no estado da Bahia.

O MME enquadrou ainda as EOLs Aura Mangueira IV (RS – 22 MW) e Aura Mirim II (RS – 26 MW) como projetos prioritários. Com isso, as usinas também estão autorizadas a emitir debêntures de infraestrutura. A licitação da primeira eólica foi realizada leilão de energia nova A-5, que ocorreu em 13 de dezembro de 2013, enquanto a EOL Aura Mirim II foi licitada no leilão de energia nova A-3, em 6 de junho de 2014. Ambos os projetos serão construídos no município gaúcho de Santa Vitória do Palmar.

Outra que recebeu a aprovação do Ministério como projeto prioritário foi a UTE MC2 Nova Venécia 2 (MA – 176,2 MW). A partir do enquadramento, a térmica poderá emitir debêntures de infraestrutura. A licitação da usina ocorreu no leilão de energia nova A-5, realizado em 30 de setembro de 2008. A construção do projeto será na cidade maranhense de Santo Antônio dos Lopes. As autorizações foram publicadas no Diário Oficial da União da última segunda-feira, 1º de junho.