Estudo aponta que Brasil chegará em 2024 com 24 GW em eólicas instalados

Perspectiva elaborada pela consultoria Make prevê que 2015 será ano crítico para fonte

Estudo feito pela consultoria Make prevê que até 2024 serão instalados 24 GW de energia eólica. De acordo com o estudo, 2015 será um ano crítico para a fonte nos leilões de energia, uma vez que o país tem uma economia vacilante e uma crise no mercado de energia causada por uma longa seca que empurra as novas tecnologias de geração de energia em direções opostas.

A consultoria também prevê que 2016 será um ano de recordes batidos em conexões eólicas na América Latina, liderados pela boa performance dos empreendedores eólicos brasileiros nos leilões de 2013. O número de redes de conexão deve diminuir 2017 e 2018, devido ao fim da bolha de comissionamento criada pelos atrasos na infraestrutura.

O México também deve passar da marca de 1 GW pela primeira vez. O desenvolvimento da energia eólica por lá deve crescer em 2016 após a reforma de mercado no setor, iniciada em 2013. A consultoria acredita que os contratos eólicos devem crescer, já que o país ambiciona chegar em 2024 com 35% de geração feita por combustíveis não fósseis. O desenvolvimento da energia eólica na América Latina será guiado por uma combinação de altos preços e crescimento forte na demanda.

Além disso, o estudo também aponta que a energia eólica está provando que tem preços compatíveis com a energia hídrica, que prevalece na região. A prolongada seca enfrentada por Brasil e Panamá vem realçando a importância de portfólios renováveis diversificados e com energia eólica.