Ministro diz ao FASE que deseja permanecer no MME

Fórum de Associações se reuniu com o ministro nesta segunda-feira, 22, para reafirmar a necessidade de continuidade das reformas do setor

Nesta segunda-feira, 22 de maio, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho e o secretário-executivo do MME, Paulo Pedrosa, receberam os representantes do Fórum das Associações do Setor Elétrico, liderados pelo presidente Mário Menel. Os executivos do setor foram pedir que, apesar da turbulência política no Palácio do Planalto, a agenda de reformas do setor continue e reiteraram que a liderança política de Coelho Filho é de grande importância para o processo de modernização do setor em curso. Durante a reunião o ministro Coelho Filho foi contundente em afirmar que seu desejo pessoal é o de permanecer à frente do MME e dar continuidade às reformas já iniciadas no setor elétrico brasileiro. Coelho Filho disse ainda que a escolha dele como ministro foi de ordem pessoal do presidente Temer e que não deseja, de forma alguma, causar instabilidade ao setor elétrico, ao contrário, que o momento é de construção e reformas e que é necessário não parar toda a mobilização já feita pelo setor neste sentido.

O presidente do FASE, Mario Menel, afirmou que, na adversidade, é preciso fazer um pacto para que se tenha um ganho para o ambiente do setor, mesmo que um segmento tenha alguma perda. Para isso, é necessário uma liderança forte que, segundo ele, o setor encontrou no ministro Coelho Filho. “Essa liderança forte, o setor, depois de muito tempo, encontrou na figura do ministro de Minas e Energia e encontrou na equipe que ele conseguiu montar, com expoentes como Paulo Pedrosa, Wilson Ferreira Junior e Luiz Barroso”, afirmou à Agência CanalEnergia, durante um intervalo da reunião.

Coelho Filho, Paulo Pedrosa e Mario Menel durante a reunião
Foto: Saulo Cruz/MME

O encontro já estava na agenda do ministério e do FASE para dar continuidade as discussões sobre o aperfeiçoamento do setor, com caráter mais técnico. Mas acabou ganhando uma conotação maior, com a participação do ministro e das principais lideranças das associações do setor. Segundo Paulo Pedrosa, secretário-executivo do MME, os executivos levaram o reconhecimento do trabalho feito no último ano. “Foi um momento importante para o ministro e para todos nós. Momento de motivação e reconhecimento. E continuamos todos com a liderança do ministro, entendendo que o país precisa desse esforço coletivo”, observou.

Pedrosa afirmou que é necessário blindar o trabalho feito. “Nós precisamos blindar e proteger essa agenda para que a turbulência política não interfira em algo que todos entendem que precisa ser feito. Então, nós reafirmos aos agentes do setor nossa disposição pessoal de dar o melhor da nossa contribuição para que isso aconteça”, disse. Menel salientou que, como a reunião ganhou esse escopo de última hora, não pôde reunir todos, mas teve 100% de manifestações favoráveis de apoio ao ministro e a equipe dentro do Fórum.

Na semana passada, durante o primeiro dia do Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico, o ministro foi homenageado pelo FASE e pelo Grupo CanalEnergia pela sua capacidade de diálogo e liderança de uma equipe técnica notável. Já no segundo dia do evento, os agentes expressaram preocupação com a continuidade dos trabalhos desenvolvidos pelo Ministério.

O próprio Menel disse, na ocasião, que é necessário pensar no longo prazo. “A demanda de alterações é do mercado e o pessoal técnico que está à frente das negociações nos dão as condições mais propícias à mudança”, destacou Menel, após a revelação dos detalhes da delação premiada dos executivos da JBS, que colocaram Temer no meio da crise política. O presidente da Abraceel, Reginaldo Medeiros, também expressou apoio a equipe técnica e reforçou a necessidade de continuidade do corpo técnico.