Light intensifica inspeções e consegue reduzir perdas

Distribuidora realizou no primeiro trimestre 96 mil inspeções e encontrou 67 mil irregularidades. A cada 100 clientes, 70 furtavam energia

A Light (RJ) já realizou somente nos três primeiros meses de 2017, 96 mil inspeções contra furto de energia, sendo detectadas 67 mil irregularidades, que apontam que a cada 100 clientes, 70 furtavam energia. Todas as ocorrências foram normalizadas. A distribuidora intensificou as operações contra os “gatos”, aumentando em 30% o efetivo em campo. Como resultado da nova estratégia, as perdas de energia seguem em trajetória de queda e terminaram o 1º trimestre de 2017 no patamar de 21,87% sobre a carga-fio, que é a energia total que passa pela rede da Light, representando diminuição de 0,67 pontos percentuais, quando comparado ao encerramento do quarto trimestre de 2016.

Esta semana, as equipes estiveram em Santa Cruz, Recreio, Seropédica e Madureira. Ao todo, foram encontradas 3.867 irregularidades e mais de 5.600 locais foram inspecionados, entre residências e estabelecimentos comerciais. As ligações clandestinas de energia sobrecarregam a rede de distribuição da Light e provocam interrupções no fornecimento de energia. A prova é o registro do maior número de ocorrências por falta de luz nas regiões onde se furta mais energia. A Baixada Fluminense e a Zona Oeste do Rio, que registram índices de 40% e 30% de furto, respectivamente, são as campeãs de chamados por falta de energia.

Na Zona Oeste, por exemplo, onde as ligações clandestinas correspondem a 30% do que é distribuído para a região. A cada 100 kWh distribuídos para a região, 30K kWh são desviados, foram feitos 3,9 mil atendimentos por causa de interrupções no fornecimento, ou seja, 22% do total de 17,7 mil ocorrências. Na Zona Norte, onde o furto também chega a 30%, o número de ocorrências atendidas pela Light chegou a 3,5 mil ou 20% do total de serviços. Situação semelhante é registrada na Baixada Fluminense: foram 5 mil restabelecimentos no fornecimento, 28% do total de atendimentos, com índice de furto que ultrapassa os 40%.