Governo de SC quer estimular política federal para carvão

Celesc e Desenvolvimento Econômico vão participar de elaboração de estudos. Estado tem reserva para mais 50 anos

O governador de Santa Catarina Raimundo Colombo determinou ao presidente da Celesc, Cleverson Siewert, e ao secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Carlos Chiodini, a realização de estudo para estimular o Governo Federal a implantar uma política industrial para o carvão mineral. A decisão foi tomada na tarde da última segunda-feira, 19 de junho, em reunião em Florianópolis com o vice-governador, Eduardo Pinho Moreira; o secretário de Articulação Nacional, Acélio Casagrande; o presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral, Fernando Zancan, além de Chiodini e Siewert.

Zancan avaliou que o Estado tem reservas do minério para mais 50 anos e defendeu sua importância no sistema elétrico nacional. De acordo com ele, na Alemanha, o carvão é responsável por 42% da geração de energia e na Polônia, 82%. Segundo o presidente da ABCM, o Brasil também precisa do carvão e de um programa de incentivo ao seu consumo. O Laboratório de Captura de CO2, no Parque Tecnológico da Faculdade Satc, em Criciúma, deverá ser inaugurado neste ano.