Déficit da balança do setor eletroeletrônico cresce 19% no primeiro semestre

Segundo a Abinee, elevação do saldo negativo foi resultado da queda de 1,5% nas exportações e do aumento de 14% nas importações

Dados compilados pela Abinee indicam que o déficit da balança comercial dos produtos elétricos e eletrônicos alcançou US$ 11,09 bilhões no primeiro semestre deste ano, 19% acima do registrado no mesmo período do ano passado, que foi de US$ 9,31 bilhões.

O aumento do saldo negativo foi resultado da queda de 1,5% nas exportações, que atingiram US$ 2,80 bilhões, e do incremento 14,4% nas importações, que chegaram a US$ 13,9 bilhões.

Ao analisar as regiões, a maior parte do déficit ocorreu em função dos negócios com os países da Ásia, US$ 9,13 bilhões, sendo que somente com a China, o saldo negativo alcançou US$ 5,21 bilhões e com os demais países da Ásia somou US$ 3,92 bilhões.

A única região a apresentar superávit na balança comercial de produtos do setor foi a Aladi, somando US$ 720,6 milhões. Porém o resultado foi muito inferior aos expressivos déficits registrados com as demais regiões.

 No mês de junho as exportações de produtos do setor eletroeletrônico somaram US$ 474,5 milhões, 4,9% superiores às ocorridas em junho de 2016. Já as importações registraram US$ 2,32 bilhões, 9,5% abaixo das ocorridas no mesmo mês do ano anterior. Com isso, o déficit atingiu US$ 1,8 bilhão, 13% menor do que no ano passado, que teve US$ 2,1 bilhões.