Celesc e Weg selam parceria para venda de motores com até 40% de desconto

Programa Bônus Eficiente Linha Motores beneficiará indústrias, órgãos públicos e meio rural, que ainda usam máquinas pouco eficientes

A distribuidora catarinense Celesc e a fábrica de motores Weg fecharam parceria para venda de motores elétricos mais eficientes aos consumidores do estado de Santa Catarina. O acordo, assinado na última terça-feira (22) com a presença do governador Raimundo Colombo, integra o projeto Bônus Eficiente Linha Motores, que terá investimentos na ordem de R$ 7,6 milhões a serem viabilizados pelo Programa de Eficiência Energética da Celesc. É esperado uma movimentação de mais de R$ 21 milhões na economia do estado.24

A Celesc dará bônus de até 40% — a depender da potência e do rendimento do motor adquirido — aos interessados na troca de motores elétricos de alta eficiência. Os motores serão comercializados pela empresa Weg, que também será responsável pelo descarte correto do maquinário obsoleto. A contratação da Weg se deu por meio de processo licitatório. De acordo com o MME, aproximadamente 30% de toda a energia elétrica do país é consumida por motores elétricos industriais, muitos dos quais de baixa eficiência.

A baixa eficiência do maquinário acarreta em um desperdício de energia elétrica de, no mínimo, 7,1 TWh/ano, de acordo com estudos conduzidos pela PUC-RJ em 2014. “Essa perda é equivalente a três vezes o consumo de Joinville no período de um ano. Isso demonstra de forma prática que investimentos na atualização tecnológica beneficiam não apenas as indústrias, departamentos públicos e o meio rural, mas também o meio ambiente e a sociedade em geral”, explicou Cleverson Siewert, presidente da Celesc.

Desde os anos 2000 a companhia catarinense desenvolve projetos para eficientização da força motriz do estado, com destaque para ações nas áreas de cerâmica, tecelagem, vestuário, metal mecânica, plásticos, celulose. Só nos últimos cinco anos foram investidos mais de R$ 23 milhões na substituição de motores elétricos. Este esforço resultou, até o momento, na economia de 27,5 GWh/ano, com a substituição de 566 motores, que daria para alimentar mais de 11 mil residências em um ano, ou cidades como Canelinha ou São Carlos.