Usina híbrida será tema de palestra no III Fórum Cogen/CanalEnergia

Projeto da GasBrasiliano visa maximizar o retorno financeiro das usinas de biomassa através da inserção do gás natural no ciclo de vapor produzido

Walter Fernando Piazza Júnior, diretor presidente da GasBrasiliano, será um dos palestrantes do III Fórum COGEN/CanalEnergia, evento que acontecerá no dia 21 de setembro, em São Paulo, e contará com a presença de nomes importantes do setor de energia nacional. Piazza participará do debate sobre Geração Distribuída com gás natural com o objetivo de enfatizar a importância do projeto denominado de Usina Híbrida, desenvolvido pela GasBrasiliano junto a parceiros tecnológicos como o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) e a WTERT Brasil. O projeto tem como objetivo central maximizar o retorno financeiro das usinas de açúcar e etanol por meio da inserção do gás natural no ciclo de vapor produzido pela biomassa.

De acordo com o Piazza, quando o gás natural é inserido no ciclo de vapor da biomassa, aumenta a eficiência do processo. “A energia do gás natural aumenta a temperatura do vapor produzido pela biomassa e, consequentemente, sua capacidade de produzir energia mecânica na turbina à vapor. Esse ganho pode ser obtido com o uso do gás natural em configurações de superaquecimento do vapor externo à caldeira de biomassa ou em ciclo de reaquecimento, utilizando-se dos gases de exaustão de turbinas a gás natural”, explica. A discussão sobre Geração Distribuída com gás natural também contará com o ponto de vista do presidente da ECOGEN, Nelson da Silva Cardoso Oliveira, e a moderação de Afonso Henriques Moreira Santos, da Universidade Federal de Itajubá.

Promovido pela Associação da Indústria de Cogeração de Energia (COGEN), Grupo CanalEnergia e Centro de Treinamento e Estudos em Energia (CTEE), o III Fórum COGEN/CanalEnergia terá como tema “Geração Distribuída e Cogeração – retomando a construção de um futuro ciclo de desenvolvimento”, e abordará, de maneira geral, a expansão do setor elétrico brasileiro via GD e os consequentes impactos sobre o SIN, a comercialização dos excedentes da micro e mini GD e as novas tecnologias e oportunidades de negócios, entre outros assuntos.