PLD seguirá no teto regulatório de R$ 533,82/MWh entre 14 e 20 de outubro

De acordo com a CCEE, as afluências previstas para outubro no Sistema caíram de 69% para 64% da média histórica

O Preço de Liquidação das Diferenças ao longo da terceira semana do mês de outubro permanecerá no teto estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica para 2017, segundo informou nesta sexta-feira (13) a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica. Com isso, o PLD para o período entre os dias 14 e 20, nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte, seguirá fixado em R$ 533,82/MWh.

De acordo com a CCEE, as afluências previstas para outubro no Sistema caíram de 69% para 64% da média histórica, redução esperada principalmente no Sudeste (de 79% para 68% da MLT). As previsões também permanecem abaixo da média para todos os demais submercados: Sul (69%), Nordeste (21%) e Norte (52%), fator responsável pela manutenção do PLD no valor máximo estabelecido para o ano.

A carga prevista para o Sistema na semana que vem deverá ficar 840 MWmédios mais alta, com elevação esperada no Sudeste (808 MWmédios) e no Nordeste (64 MWmédios), permanecendo inalterada no Sul e menor no Norte (-30 MWmédios). A perspectiva é de queda nos níveis dos reservatórios das regiões Sudeste (-1.020 MWmédios) e Norte (-300 MWmédios) e de alta no Sul (1.066 MWmédios) e no Nordeste (52 MWmédios).

O fator de ajuste do MRE para outubro foi revisto de 60,2% para 62,4% e os Encargos de Serviços do Sistema são esperados em R$ 20 milhões para o mês, montante referente apenas à restrição operativa. Os custos decorrentes do descolamento entre o CMO e o PLD, que remuneram as usinas que são despachadas por ordem de mérito, estão acima do preço máximo e são estimados em R$ 94 milhões para outubro.