BMTE é autorizada a antecipar operação comercial do 1º bipolo de Belo Monte

Projeto vai reduzir o impacto da suspensão dos contratos da Abengoa no escoamento da energia da usina

A Belo Monte Transmissora de Energia foi autorizada a antecipar em dois meses a entrada em operação comercial da linha de transmissão em 800 kV Xingu – Estreito e instalações a ela associadas. O empreendimento, que vai escoar energia da hidrelétrica de Belo Monte, tinha conclusão prevista para 12 de fevereiro de 2018, mas deve entrar em operação em 12 de dezembro desse ano.

A antecipação da obra do 1º bipolo foi sugerida pela Empresa de Pesquisa Energética e pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico. O empreendimento terá um papel importante na redução dos impactos provocados pela suspensão dos projetos de transmissão da Abengoa, que está em recuperação judicial.

A concessionária foi consultada sobre a possibilidade de adiantar o cronograma e respondeu que seria possível, desde que não houvesse atrasos em marcos que não dependessem dela, como o licenciamento ambiental. O pedido de antecipação da obra à Agência Nacional de Energia Elétrica foi oficializado pela BMTE em 22 de setembro. Com a energização da linha, a empresa vai antecipar o recebimento da Receita Anual Permitida do empreendimento.

Primeiro dos dois bipolos em ultra alta tensão que vão levar energia para os mercados da região Sudeste, a LT Xingu-Estreiro tem 2.087 mil km de extensão e atravessa 65 municípios dos estados do Pará, Tocantins, Goiás e Minas Gerais. O projeto inclui outras instalações, como duas estações conversoras de corrente alternada para corrente continua e vice-versa. Responsável pela concessão, a BMTE tem como sócios a chinesa State Grid, com 51%; Furnas e Eletronorte, com 24,5% cada uma.