Lucro da Enel até setembro soma 2,6 bi de euros

Resultado é 5% menor do que o obtido nos nove meses de 2016

A Enel reportou um lucro líquido de 2,62 bilhões de euros no acumulado de janeiro a setembro de 2017. Esse resultado representa uma retração de 4,9% ante os 2,75 bilhões de euros do mesmo período do ano passado. A queda, apontou a companhia, reflete a redução do ebit apenas parcialmente compensado pela boa performance das companhias contabilizada pelo uso do método de equivalência patrimonial, redução do passivo tributário e uma queda nas despesas financeiras líquidas.
O resultado ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 11,45 bilhões de euros, queda de 4,7% devido à redução da margem na Ibéria, que compensou a performance na Itália, especialmente no varejo, além do desempenho positivo da taxa de câmbio.
O resultado ebit ficou em 7,21 bilhões de euros ante os 7,68 bilhões de euros nos nove meses de 2016, uma queda de 6,1%. Esse desempenho foi explicado pela companhia como o reflexo da queda no Ebitda, parcialmente compensado por menor amortização e depreciação.
A receita do grupo no mundo somou 54,18 bilhões de euros, alta de 5,3% em relação a 2016. Entre os motivos para esse aumento a Enel destacou maiores receitas com a venda e transporte de energia, apenas parcialmente compensada pelo escopo da consolidação.
Já em termos de endividamento, a dívida líquida encerrou setembro em 37,9 bilhões de euros aumento de 1%, reflexo de aquisições como a da Celg-D, assim como investimentos  no período e o pagamento de dividendos interinos  e dividendos do ano de 2016, parcialmente compensado pelo aumento do fluxo de caixa operacional e pelo desempenho da taxa de câmbio.
Em sua análise, Francesco Starace, CEO da Enel, afirmou que nos primeiros nove meses de 2017, foi obtido um aumento nas receitas, principalmente como resultado do desempenho na venda e transporte de eletricidade, uma melhoria na geração de caixa do grupo e um aumento de 3% no lucro líquido ordinário de itens pontuais. Para o restante de 2017, a empresa continuará com a aceleração do investimento em digitalização. Já foram instalados mais de um milhão de medidores inteligentes de nova geração na Itália e será completada a instalação de medidores digitais na Espanha.