CEA é autorizada a aumentar tarifas em 37,36% em média

Distribuidora do Amapá passou por revisão tarifária periódica

A Companhia de Eletricidade do Amapá foi autorizada a aplicar aumento médio de 37,36%, resultante da revisão tarifária periódica. Para os consumidores atendidos em baixa tensão o impacto médio foi de 37,02%, enquanto no segmento de alta tensão o efeito médio é de 38,59%. As novas tarifas serão cobradas a partir de 30 de novembro.

O resultado do processo de revisão foi influenciado por reduções de 1,31% nos encargos setoriais e de 11% no custo de aquisição de energia; e pelos aumentos de 5,99% nos custos de transmissão, de 24,93% na distribuição e de 1,25% nas receitas irrecuperáveis. O aumento elevado é explicado pelo longo período em que a empresa permaneceu sem reajuste de tarifas, em razão da inadimplência com o pagamento de encargos setoriais.

A Aneel também definiu os limites dos indicadores de qualidade que medem a duração (DEC) e a frequência (FEC) das interrupções no fornecimento de energia de 2018 até a data estabelecida no futuro contrato de concessão. A distribuidora atende 202 mil unidades consumidoras no estado do Amapá, e deve ser privatizada no ano que vem.