EDP inicia transposição manual de peixes na Usina de Mascarenhas

Processo contribui para preservação do meio ambiente e da biodiversidade

A EDP deu início na última terça-feira, 30 de janeiro, a transposição manual de peixes da Usina de Mascarenhas, localizada no Rio Doce, na cidade de Baixo Guandu. O processo ocorre desde 2013, durante a piracema, época de reprodução dos peixes, e tem contribuído para a preservação do meio ambiente e da biodiversidade da região.

A iniciativa garante a continuidade do ciclo natural de reprodução e o controle das espécies que estão sendo transpostas, contribuindo também para a atividade econômica da região. Neste ano, a empresa já realizou uma transposição durante a segunda semana de janeiro, e ainda há mais duas programadas. Essa que iniciou nesta semana e a última para o final do ano. Até o momento, foram identificados no Rio Doce 30 tipos diferentes de espécies de peixes.

A transposição manual dos animais da área da usina faz parte da política de sustentabilidade do Grupo e é fruto de um estudo na área de influência do empreendimento, que aponta essa ação como a melhor alternativa de manejo dos recursos pesqueiros na região.

Durante o processo, os peixes são coletados na região mais baixa da barragem e transportados até a região montante, onde os peixes são soltos novamente no rio, e irão completar o seu ciclo natural de reprodução.