CEO da CPFL Renováveis renuncia ao cargo

Executivo deixa a empresa em meio a uma queda de braço entre controlador e acionistas minoritários

Gustavo Henrique Santos de Sousa não é mais o diretor presidente da CPFL Renováveis, braço de investimento de geração do grupo CPFL Energia. Segundo comunicado divulgado na noite deste sexta-feira, 23 de fevereiro, o executivo “apresentou renúncia aos cargos para seguir novos rumos profissionais e deixará a companhia em 02 de março de 2018.” Além de CEO, Sousa acumulava o cargo de diretor Financeiro e de Relações com Investidores.

O executivo deixa empresa em meio a um impasse envolvendo uma queda de braço com os acionistas minoritários, que se recusam a vender suas ações pelo valor de R$ 12,20/ação oferecido pela controladora State Grid Brazil no processo de Oferta Pública de Ações da companhia. Eles argumentam que o valor estaria abaixo do valor justo.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) rejeitou nesta semana o preço apresentado pela CPFL, alegando inconsistência nos critérios adotados. Pelos cálculos do órgão, o preço mínimo justo a ser oferecido aos acionistas nesta operação deveria ser de R$ 16,69 por título.

O Sousa ingressou na CPFL Renováveis em fevereiro de 2016 como CFO. O presidente do Conselho de Administração da Companhia, Andre Dorf, assumirá interinamente os cargos de Diretor Presidente e de Diretor Financeiro e de Relações com Investidores.