Preço da energia no curto prazo sobe 6% no país; exceto no Norte

Afluências previstas para março foram revistas para 84% da média histórica

O Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para o período entre 10 e 16 de março subiu 6% nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Nordeste ao passar de R$ 223,21/MWh para R$ 236,02/MWh. Já o preço no Norte segue em R$ 40,16/MWh, no valor mínimo estabelecido para 2018. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, 9, pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Segundo a CCEE, o desacoplamento entre os preços do Norte com os demais submercados permanece, uma vez que o limite de envio de energia por este submercado foi atingido em todos os patamares de carga.

A expectativa de afluências para o Sistema Interligado Nacional (SIN), em março, foi revista de 88% para 84% da média histórica com previsão de ENAs em 86% da MLT no Sudeste, 67% no Sul, 52% no Nordeste e acima da média apenas no Norte, em 104%.

Para a próxima semana, a carga esperada para o Sistema deve ficar em torno de 1.250 MW médios mais alta frente à previsão anterior com expectativa de elevação em todos os submercados, exceto no Nordeste, cuja previsão é a mesma da semana passada. A elevação da carga prevista é de 1.000 MWmédios no Sudeste, 175 MWmédios no Sul e de 75 MWmédios no Norte.

Já os níveis dos reservatórios estão cerca de 2.150 MW médios mais baixos quando comparados aos volumes de energia armazenados da semana anterior, com redução no Sudeste (-1.425 MW médios), Sul (-485 MW médios) e no Norte (-295 MW médios). No Nordeste, os níveis estão cerca de 50 MW médios mais altos.

O fator de ajuste do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) previsto para março passou a 115,7%. A previsão de Encargos de Serviços do Sistema (ESS) para o período é de R$ 481 milhões, sendo R$ 421 milhões referentes à segurança energética.