Energia influencia IPCA-15 de abril, que fica em 0,21%

Reajuste tarifário das concessionárias influenciou no resultado; Rio teve maior alta regional, com 0,46%

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 de abril teve variação de 0,21%, 0,11 ponto percentual acima da taxa de março, quando obteve 0,10%. A variação acumulada ficou em 1,08%, menor nível para o período de janeiro a abril desde a implantação do Plano Real. Já o acumulado dos últimos 12 meses permaneceu em 2,80%, mesmo taxa do ano anterior.

O grupo Habitação foi o destaque, com alta de 0,26% puxada pelo item energia elétrica (1,45%), que está 10,20% mais cara no Rio de Janeiro em função do reajuste tarifário feito pelas concessionárias Light e Enel, que aumentaram as tarifas em 9,09% e 21,46% respectivamente.

Segundo o IBGE, mostraram deflação em relação ao mês anterior apenas a região metropolitana de Pernambuco e Goiânia, com -0,07% e -0,10%, respectivamente. Nas demais a variação foi de 0,09 em Salvador a 0,43% no Rio de Janeiro.

Os dados usados no cálculo do índice foram coletados de 16 de março a 13 de abril de 2018, nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. O IPCA 15 mede a inflação de famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos.