Lotes maiores terão competição menos agressiva no próximo leilão, avalia Taesa

Companhia confirma participação no certame e se preparada para assumir o controle de ativos da Eletrobras

A Taesa confirmou sua participação no próximo leilão de transmissão de energia elétrica. O certame está previsto para ocorrer em 28 de junho, na sede da B3, em São Paulo. Serão licitados 24 lotes totalizando 60 empreendimentos, com estimativa de R$ 8,9 bilhões em investimentos, de acordo com a Aneel.
Em conversa com analistas de mercado, durante apresentação dos resultados do primeiro trimestre de 2018, o presidente executivo Raul Lycurgo, disse que, para os lotes menores, haverá uma competição parecida com o que se viu no último leilão de transmissão, realizado no final de 2017, onde se viu uma agressiva disputa entre os agentes. Porém, para os lotes maiores, ele acredita que os agentes que vinham fazendo ofertas agressivas “vão tirar o pé”.
A Taesa está bem posicionada para aproveitar as oportunidades de investimento, garantiu Lycurgo. A dívida líquida atual da companhia soma R$ 2,1 bilhões, representando 1,3x a relação dívida/Ebidta, e prazo médio de 3 anos. A empresa tem uma dívida de R$ 727 milhões vencendo em 2019, que deverá ser rolada. A companhia estuda ir a mercado neste ano para captar recursos, possivelmente via emissão de debêntures de infraestrutura, aproveitando o apetite dos investidores por esse tipo de papel.
Atualmente, a empresa está construindo oito empreendimentos, cujos investimentos estão estimados em R$ 5 bilhões, sendo R$ 3,16 bilhões os valores que cabem a Taesa. “Os projetos estão avançando entro do cronograma previsto, com a possibilidade de antecipação de alguns deles, principalmente os que têm data prevista para 2020 e 2022”, disse Lycurgo.
Além do crescimento orgânico, a empresa disse que está atenda as oportunidades de aquisição. A Taesa é sócia minoritária em cinco empreendimentos de transmissão que deverão ser vendidos em leilão no final de junho pela Eletrobras.”Destaco que por sermos parceiros, teremos o direito de preferência na compra da participação desses cinco ativos, o que nos coloca numa posição bastante favorável”, informou o executivo.
A Taesa possui a concessão de 35 empreendimentos, representando uma receita anual permitida de R$ 2,9 bilhões. A Taesa reportou um lucro líquido de R$ 217,3 milhões no primeiro trimestre de 2018, um aumento de 7,9% quando comparado ao mesmo período do ano passado.