Para Energisa, disputa por Eletropaulo ultrapassou o razoável

Empresa alegou efeitos ao longo e prudência para sair da disputa

De acordo com a Energisa, a disputa que vem sendo travada pelo controle da Eletropaulo (SP), ultrapassou o ‘razoável’. Em teleconferência com analistas nesta sexta-feira, 11 de maio, o presidente da empresa, Ricardo Botelho, lembrou que a empresa fez uma proposta baseada em análise criteriosa da concessionária paulista e que desde o início sabia que haveria grande disputa, mas que os valores foram muito além do imaginável. “Avaliamos que o volume de ofertas concorrentes e considerando a sustentabilidade ao longo prazo para clientes e fornecedores, que esses números ultrapassam o que nós entendemos como razoável para essa atividade”, afirmou.

A Energisa havia apresentado em abril ao mercado proposta pela Eletropaulo de R$ 3,2 bilhões de desembolso máximo, com capitalização de pelo menos R$ 1 bilhão. Logo em seguida a proposta dela foi superada pelas ofertas da Enel e da Neoenergia, que começaram a duelar pelo lance maior. O leilão da distribuidora está marcado para 4 de junho.

Ainda de acordo com o executivo, a Energisa sempre primou pela prudência para fazer a alocação de capital, sendo essa uma das suas características. Segundo ele, ao optar pela desistência a empresa buscou proceder de forma a preservar o interesse dos clientes, funcionários e acionistas.