Ações da Eletrobras despencam na B3 depois da queda da MP 814

Medida Provisória viabilizava a venda das distribuidoras da companhia

O mercado financeiro reagiu negativamente a decisão do Congresso Nacional de não votar a Medida Provisória 814, que permitia a inclusão das empresas do grupo Eletrobras no Programa Nacional de Desestatização. A MP, que perde a validade no próximo dia 1º de junho, era vital para a realização do leilão de privatização das distribuidoras do grupo até o fim de julho.

As ações ordinárias da Eletrobras despencaram 11,47% no pregão desta quarta-feira, 23 de maio, da Bolsa de Valores de São Paulo. As ações preferenciais classe B tiveram forte queda de 9,42%. A Petrobras afetada pela discussão sobre os reajustes dos combustíveis disparada pela greve dos caminhoneiros também teve quede de 5,83% no papel PN e 4,47% no ON.

O Ibovespa fechou em baixa de 2,26% aos 80.867 pontos. O IEE recuou 1,57% para 41.090 pontos.