Aneel apresenta publicação com dados de sua Ouvidoria

Em sua 8ª edição, "Ouvidoria Setorial em Números" já está disponível no site da Agência, e traz os pedidos de informação e reclamações registrados em 2017 por distribuidora

A Agência Nacional de Energia Elétrica compilou os dados de sua Ouvidoria ao longo de 2017 em um documento já disponibilizado em sua página na internet. Segundo a Ouvidoria Setorial em Números – Aspectos Técnicos e Comerciais (OSN), foram ao todo 49.562 reclamações no período, envolvendo 81.775.950 unidades consumidoras e 58 distribuidoras. Em 2016 haviam sido 59.831 atendimentos solicitados.

A publicação é referência quanto ao relacionamento do consumidor de energia elétrica com os agentes de distribuição e com a agência reguladora. Para as distribuidoras, esta 8ª edição serve como guia para melhoria da qualidade do serviço prestado. Ao traçar um panorama da qualidade do serviço de fornecimento de energia, o documento subsidia as atividades de fiscalização e regulação da Aneel, reforçando também seu compromisso com a transparência e com a prevenção de conflitos no setor elétrico.

Além dos dados registrados na Ouvidoria Setorial, a OSN também oferece os quantitativos das solicitações feitas nos canais de atendimento e nas ouvidorias das distribuidoras. Entre os dados aferidos, a Aneel destacou as reclamações registradas nas centrais de atendimento e nos postos de atendimento presencial, que totalizaram mais de 27 milhões.

Quanto às regiões do país, o Sudeste, com 19 distribuidoras, foi líder em pedidos, com 28.361 reclamações, seguido pelo Nordeste, com 7 concessionárias e 7.649 solicitações registradas. Nas demais regiões, os atendimentos não ultrapassaram 5 mil. Rio de Janeiro e São Paulo são de longe, as cidades que tiveram os maiores números de solicitações, com 16.849 e 14.379 respectivamente.

Falta de energia e erros na variação do consumo foram as principais reclamações feitas pelos consumidores e atendidas pelo órgão regulador, que recebeu ao todo 148.498 reclamações em 2017, 0,36% a menos que em 2016. Por sua vez, a solicitação de informações contou com 596.297 pedidos, 4,46% a mais do que no ano anterior.

Nos anexos, além do tradicional detalhamento de indicadores, números de fiscalização e universalização, a edição de 2018 apresenta dados sobre os conselhos de consumidores de energia elétrica.