Indústria reduziu consumo energético em 2,4% no final de maio, afirma CCEE

Greve dos caminhoneiros nas duas últimas semanas do mês impactaram diretamente na queda do consumo nos principais setores da economia do país. Consumo total no mês ficou estagnado

A greve dos caminhoneiros nas últimas duas semanas de maio impactou diretamente o consumo de energia nos principais setores da economia do país, que registraram queda de 2,4% no período, segundo análise da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE. Os ramos de atividade mais prejudicados pela paralisação foram o alimentício, com 39,5%, bebidas, 31%, veículos, 28,6%, manufaturados diversos, 24,2%, madeira, papel e celulose, 22,7% e de minerais não metálicos, com21,6%.

Na análise anterior da Câmara de Comercialização, entre 1º e 22 de maio, estes mesmos segmentos haviam apresentado crescimento no consumo energético: alimentícios, com 1,5%, bebidas, 7%, veículos, 5,7%, manufaturados diversos, 3,3%), madeira, papel e celulose, 6,4% e minerais não metálicos, com 4,7%, o que confirma o impacto significativo da greve no desempenho da indústria no último mês.

Já o consumo de energia em todo o país, durante o mês de maio, ficou estagnado frente à demanda por energia no mesmo período de 2017.