CPFL lança empresa de soluções integradas para produtos e serviços

CPFL Soluções vai reunir comercialização, eficiência energética, geração distribuída, infraestrutura e consultoria

O grupo CPFL lançou a marca CPFL Soluções,  empresa criada para unificar o portfólio de produtos e serviços nas áreas de comercialização de energia, eficiência energética, geração distribuída, infraestrutura e consultoria. Juntas, essas atividades  são responsáveis por um faturamento anual de quase R$ 4,5 bilhões.

“Ate ontem, os serviços eram separados por empresa. A partir de hoje, o cliente tem um único contato, que é a CPFL Soluções”, resumiu o presidente da CPFL Energia, Andre Dorf, durante apresentação nesta quarta-feira, 3 de outubro. A nova empresa tem Ebitda de R$ 186 milhões, correspondente a 4% da geração de caixa do grupo CPFL.

Dorf  disse que a CPFL Soluções não estará restrita à área de concessões do grupo. “A gente já conta com abrangência nacional para alguns serviços”, lembrou o executivo.

A vice-presidente de Operações de Mercado, Karin Luchesi, explicou que a empresa já percebeu ganhos com a integração das áreas. “Oferecer soluções integradas ajuda na fidelização dos clientes”, afirmou Karin. A executiva destacou que faz parte da estratégia da empresa trabalhar com fontes renováveis, e que a ideia agora é oferecer soluções integradas aos clientes.

Em 2017, segundo dados da CPFL, os investimentos em energias renováveis, comercialização, geração distribuída e eficiência energética somaram R$ 58 milhões, com crescimento de 13,7% em relação a 2016. Para este ano estão previstos R$ 81 milhões, e para o período de 2018 a 2022 o valor projetado é de R$ 176 milhões.

Para o presidente da CPFL, a inovações tecnológicas estão acontecendo, mas é necessária a modernização do marco regulatório para que isso seja feito de forma justa. Ele lembrou como exemplo que a adesão de consumidores à geração distribuída solar não pode afetar a distribuidora ou os demais consumidores. Dorf acredita que a eleição do novo presidente da república será um oportunidade para que essa modernização aconteça, aproveitando tudo o que foi discutido e amadurecido nos últimos dois anos com o setor elétrico.

*A repórter viajou a convite da CPFL Energia