Tarifas ficarão em média 18,54% mais caras para consumidor em Goiás

Efeito é resultante da quarta revisão tarifária da distribuidora da Enel no estado

A quarta revisão tarifaria periódica da Enel Distribuição Goiás vai levar a um aumento médio de tarifas de 18,54%, com efeito médio de 26,52% na alta tensão e de 15,31% em média para os clientes atendidos em baixa tensão. As novas tarifas serão aplicadas a partir de 22 de outubro.

O índice de revisão foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica na reunião semanal desta terça-feira, 16 de outubro. De acordo com a agência, a diferença entre o impacto médio registrado nos grupos de consumidores conectados em alta e em baixa tensão é resultado da retirada de um componente financeiro negativo da Conta de Desenvolvimento Energético, que representou redução de 5,45% na receita verificada do reajuste de 2017. Esses itens de custo tem peso maior na fatura final dos consumidores do grupo A.

Os custos de aquisição de energia representaram 6,98% no índice final, os custos de distribuição 5,28% e os componentes financeiros incluídos na tarifa 7,48%. A Aneel também aprovou os limites dos indicadores de qualidade que medem a duração (DEC) e a frequência (FEC) das interrupções no fornecimento de energia elétrica na área de concessão da empresa para o período de 2019 a 2023. A Enel Goiás (antiga Celg D) atende cerca de 3 milhões de unidades consumidoras em 237 municípios de Goiás.