CPFL Energia capacitou gratuitamente 437 eletricistas em cidades de SP e RS

Empresas do Grupo CPFL contrataram 67% dos participantes do projeto Escola de Eletricistas em 2018

A CPFL Energia divulgou os resultados do projeto Escola de Eletricistas em 2018, que visa formar mão-de-obra qualificada para o mercado de trabalho e para o quadro técnico e de negócios da companhia. Foram ao todo 437 profissionais capacitados gratuitamente para atuarem como eletricistas de redes de distribuição e auxiliar de eletricista em empresas do Grupo CPFL nos Estados de São Paulo e Rio Grande do Sul.

De acordo com o levantamento realizado pela Universidade Corporativa da CPFL Energia para celebrar o Dia do Eletricista, comemorado neste 17 de outubro, o Grupo já treinou 238 profissionais em 32 turmas do projeto. Dentre esse montante, 67,2% dos alunos foram contratados. Isso significa que dois terços dos participantes dos cursos estão trabalhando em alguma das empresas do Grupo em São Paulo ou Rio Grande do Sul, uma marca expressiva.

Até o final do ano, outras 199 pessoas terão a oportunidade de receber a capacitação gratuita, considerando 83 profissionais participantes dos cursos em andamento e outros 116 que farão parte de novas turmas que serão abertas. O programa Escola de Eletricistas é realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizado Industrial (Senai).

Ao longo do treinamento, que dura em torno de três meses, os alunos entram em contato com teorias, técnicas e práticas do trabalho de eletricista de distribuição e são orientados sobre questões relacionadas à segurança do trabalho. Além de aprender sobre eletricidade básica, os participantes têm aulas sobre as normas NR-10 (segurança e saúde do trabalho) e NR-35 (requisitos mínimos de proteção para o trabalho em altura), sobre os procedimentos e normas do padrão CPFL de operação da rede, entre outros conhecimentos.

Para o gerente de Educação Corporativa da CPFL Energia, Flavio Allbrandt Faria, o projeto oferece para a sociedade uma formação gratuita de boa qualidade, além de contribuir para suprir uma lacuna do mercado de trabalho, que é a existência de profissionais já habilitados para trabalhar em empresas do setor elétrico.

“O que há no mercado são pessoas com a formação básica em eletricista residencial. Com este projeto, oferecemos uma certificação com conteúdo de boa qualidade, que inclui, por exemplo, noções de segurança no trabalho de rede”, afirmou o executivo.

Além de qualificar a formação de mão-de-obra, a Escola de Eletricista também viabiliza a criação de um banco de currículos de profissionais certificados que poderão ser aproveitados futuramente pelo Grupo CPFL, quando houver vaga disponível. A vantagem disso é que esses profissionais já entram conhecendo as normas e procedimentos da Companhia, diminuindo o tempo de adaptação ao modo de trabalho da organização.

“Além de capacitar profissionais e suprir nossa necessidade por mão-de-obra, o projeto beneficia as comunidades da nossa área de atuação. Os colaboradores formados podem ser contratados pela CPFL Energia ou por outras empresas do setor, melhorando a renda e qualidade de vida das famílias dessas regiões”, explica o diretor de Recursos Humanos da CPFL Energia, Rodrigo Ronzella.

Números por Estado

Neste ano, no estado de São Paulo, a capacitação foi realizada nas cidades de Ipaussu, Cubatão, Indaiatuba, Ribeirão Preto, Bauru, Campinas, Araraquara, São José do Rio Pardo, Sumaré e Franca. Até o momento, a companhia formou 112 profissionais e contratou 74 deles, um índice de 66%. Até o final do ano, serão concluídas outras 10 turmas e 84 novos profissionais estarão aptos a trabalhar como eletricistas.

Já no Rio Grande do Sul, a CPFL formou 126 profissionais, contratando 68,2% dos participantes. Os cursos foram ministrados em São Leopoldo, Erechim, Caxias do Sul e Santo Ângelo. Até dezembro, a companhia divulgou que irá formar mais 80 profissionais no Estado.