Schneider Electric muda posições de seu corpo diretivo

Com quase seis anos na presidência para América do Sul, Tania Cosentino assume uma posição global na companhia, enquanto o venezuelano Rafael Segrera entra em seu lugar com o desafio de liderar a região

A Schneider Electric anunciou a nomeação de Tania Cosentino para o cargo global de VP sênior de Customer Satisfaction and Quality (CS&Q). A presidência para América do Sul passará para Rafael Segrera, que acumula 22 anos na companhia.

Nos últimos seis anos, Tania dedicou-se à preparação da Schneider para liderar a transformação digital na região sul-americana. A executiva também ganhou reconhecimento, tanto em âmbito nacional quanto internacional, pelo seu empenho no campo da sustentabilidade, principalmente em temas relacionados a eficiência energética, acesso à energia, empoderamento das mulheres e diversidade. Agora, toda essa experiência e conhecimento serão aplicados na criação de uma companhia ainda mais “customer centric”, com foco total na solução dos problemas dos clientes.

Para ocupar seu posto, chega ao Brasil, diretamente da França, Rafael Segrera. Formado em Administração de Empresas pela Universidad Fermín Toro, com especialização em gestão pelo Instituto de Estudios Superiores de Administración (IESA), ambas as instituições na Venezuela, Rafael iniciou sua carreira em 1987, na Telemecanique, adquirida pela Schneider mais tarde. Após uma temporada de estudos no Canadá, entre 1992 e 1996, retornou à terra natal e já ingressou na empresa onde passaria as próximas duas décadas.

Ao longo da sua trajetória na empresa, Segrera ocupou cargos de gestão em diferentes países – inclusive na China. Foi diretor comercial na Venezuela, diretor comercial Contas Estratégicas na China, VP de Industry na França, VP sênior comercial Europa de Industry, VP sênior comercial global de Industry e, entre 2015 e 2018, VP sênior comercial.

Na visão do executivo, a companhia está pronta para ajudar os clientes a acelerar a jornada de transformação digital “Abraço esse desafio com entusiasmo. A América do Sul é estratégica para nossa companhia. Há, na região, grande potencial no campo da IoT para o desenvolvimento da Indústria 4.0, edifícios inteligentes e data centers, e, com o EcoStruxure, nossa arquitetura de sistema aberta, interoperável e habilitada para IoT,”, comentou.

De acordo com a Schneider, é uma prática da empresa valorizar e estimular o aperfeiçoamento contínuo dos seus colaboradores – em todos os níveis hierárquicos – acreditando que parte disso acontece pelas vivências. Por isso, a cada quatro ou cinco anos, a companhia movimenta seu corpo diretivo, dando aos profissionais a oportunidade de adquirir novos aprendizados e competências, o que é essencial neste mundo em transformação exponencial”, sustenta Tania Cosentino, que entende que líderes submetidos a experiências múltiplas se tornam mais sensíveis às mudanças em curso, “mais capazes de perceber tendências e, portanto, mais inovadores.”